Bem vindo ao EvRec

Fã Clube Evanescence Recife

Nova Campanha: Evanescence no Recife 2016

Participe agora da campanha no Facebook!

E a banda de abertura?

Confira nossa lista de sugestões de bandas para abrir o show do Evanescence em Recife!

Faça parte desta família!

Inscreva-se no Fã Clube mais querido do Brasil!

Tour Evanescence no Brasil em 2012

Crystiano Pequeno relembra como foi a tour da banda em 2012.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

EvRec TOUR 2012 - FORTALEZA #Parte 6/6

Amy ainda agitava a bandeira de Pernambuco com Will fazendo todos gritarem e aplaudirem. Nosso sonho se tornou real, família EvRec. Todos ali felizes, trocando abraços, tirando fotos e cada um narrando os melhores momentos do show. Eu e Regina pegamos um táxi e fomos pra minha casa. Depois do banho eu estava sentindo fortes dores no corpo e com o rosto quente por ter ficado exposto ao sol durante esses dias. Ri muito quando vi Regina tirando as sandálias, os calos que se formaram nos dedos e o bronze no peito do pé.


Passei o feriado de Nossa Senhora Aparecida em repouso absoluto, só saia da cama para ir na cozinha/banheiro, afinal precisava recuperar as energias para o último show do Ev no Brasil, Fortaleza. Acordei às 5h:30min, já tinha deixado tudo pronto para não perder tempo conferindo e procurando. Como seria um bate-volta só levei o indispensável comigo: dinheiro, documentos, voucher, celular e a bandeira de Pernambuco. O voo estava previsto para 8h:10min e Fábio já me liga de 6h:20min avisando que já estava no aeroporto, eu ainda iria sair de casa e cheguei às 7h:20min. Foi um voo tranquilo e rápido, apenas uma hora. Ao desembarcar em Fortaleza a primeira coisa que fomos fazer foi pegar um ônibus para a rodoviária onde Barros iria trocar o voucher pela passagem e escolher o assento. Depois fomos de táxi até o local do show trocar nossos vouchers por ingressos e as fichas para as bebidas. O taxista começou a fazer uma “mini excursão” falando os nomes dos lugares como o Banco Central do Brasil (onde foi gravado um filme contando sobre o assalto que fizeram) e os pontos turísticos. Já na fila de troca encontramos Raphael, Vanessa, Daiane, Sara, Larissa e Letícia \o/ Quando saímos de lá, já eram quase meio dia e fomos almoçar no Tempero Cearense. Depois do almoço me bateu um sono e fiquei cochilando ali mesmo, enquanto Fábio navegava na net pelo cell. Barros até tirou uma foto desse momento (hahaha).


 – Crys? Acorda!!! Vamos pra fila...Oi? Sim, vamos! - Na volta paramos numa loja de artesanato e Binho comprou umas lembrancinhas. Já em frente da entrada do Ceará Music Burn Frontstage encontramos o pessoal do Fã Clube EvFor (Bruno, Filipe, Valéria, Jonas) e os Guerreiros. O sol estava intenso e ficamos do outro lado da rua foi quando finalmente conheci, pessoalmente, Marcelo *-*


Já estava anoitecendo quando finalmente começamos a entrar. Dessa vez eu não quis ficar na grade até estava bebendo whisky (haha), queria ter outra visão do show do Evanescence, queria pular sem estar num aperto e calor (haha). Fabio conseguiu logo fazer amizade com o barman e ele ficou vendendo 2 Burns por R$10 o/ Sei que no terceiro copo já estava “beeem animado” mesmo ouvindo as músicas de Agridoce.


Lembro que conversei com uma portuguesa que me pediu para tirar uma foto dela durante o show do Simple Plan e falei da minha amiga Regina que é apaixonada pelo Simple Plan, Pierre... e da minha loucura em ir aos quatro shows do Ev. Aí ela disse que eu era mais louco do que ela e respondi que ao menos não fui para outro país e rimos muito. Depois do SP quem subiu ao palco foi o pessoal do Rappa e só lembrava da minha Amiga Paula que é apaixonada por Falcão (rsrs). Lembra que disse que queria ver o show do Evans mais solto? A vontade? Então, Eu e Fabio estávamos quase na grade Kkkkkk!!! Tentei curtir cada música que a banda tocava como se fosse a última e já sabendo que o próximo show que eu iria do Evans iria demorar quem sabe uns 5 anos, isso se eles voltarem (drama).


Assim que o Evanescence terminou o show Eu e Fabio fomos tratar de gastar todas as fichas bebendo e resolvemos dá um giro pelo Marina Park quando já estava na metade do show do The Used. Ficamos na tenda eletrônica, estava bombando \o/ meus pés estavam bombando também e resolvi descansar um pouco e foi batendo a fadiga. Espera aí? Vamos curtir o restinho do tempo que temos aqui e vamos dançar *_* Ficamos lá até umas 4h:30min foi quando estava começando o último show do Ceara Music, Biquíni Cavadão. Pegamos um táxi, deixei Fábio na rodoviária – Boa viagem Fábio - e segui para o aeroporto. Meu voou saia às 6h:30min. Quando fiz o check-in escolhi ficar no fundão do avião. Na hora de passar no detector de metal fui barrado, pediram para tirar tudo que estava no bolso, mas não estava com nada e apitou outra vez – Senhor? Deve ser os sapatos, pode tirar por favor? – Olhei incrédulo e tirei os sapatos e a máquina não alarmou. Vai eu descalço morrendo de sono procurar uma cadeira para colocar os sapatos. Cochilando por 20 minutos, cochilando por mais 6 minutos, cochilando por... – chamando o pessoal para embarque – Senhor? Você não vai?Sim! Credo! eu vou... não acredito que iria perder o voo. Só voltei a acordar quando cheguei em Recife, isso porque pedi para uma moça que estava ao meu lado me acordar, ela foi tão gentil que ainda me entregou o “café da manhã” que a TAM oferece. Peguei um taxi e vim ouvindo “End of The Dream” e foi passando um filme na minha cabeça de todos os shows, dos melhores momentos até o motorista perguntar se eu estava passando mal (risos). Enxuguei as lágrimas e disse que estava muito feliz, cansado, mas feliz.


AGORA ESPERO VIVER TUDO NOVAMENTE COM VOCÊS.
Participem do evento, AQUI!!!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

EvRec TOUR 2012 - RECIFE #Parte 5/6

"O GRANDE DIA - 13/10/12"

Levantei da cama às 4h:20min, na verdade não lembro de ter dormido. Regina já estava no banho. Tomamos um café reforçado e pegamos um taxi até o Chevrolet Hall. Chegamos por volta das 6h:10min e como esperado já tinha um grupo de EvRecos que dormiram na fila e esperavam o outro grupo para render. Ri demais com Amanda e Gustavo contando como foi a “madrugada dos mosquitos do mal”, a chuva, o calor dentro do carro na tentativa de fugir dos mosquitos. Quanto mais as horas passavam mais EvFãs chegavam. Um mar de EvRecos, todos com a camisa do Fã Clube *_*


Eu e Regina resolvemos ir atrás da produção da banda ou da casa ou da XYZ, alguém responsável pelo M&G. Por trás do Chevrolet vimos os equipamentos da banda e procuramos por alguns contatos secret's e conseguimos entrar no Chevrolet Hall. Dentro vimos o pessoal organizando palco, a divisória que separava Front Stage da pista, a iluminação, mas não podíamos ficar muito tempo e nem tirar fotos (reclamaram quanto me viram tirando a segunda foto rsrs).


Infelizmente e como esperado ninguém da casa (Chevrolet) era responsável pelo M&G e eles deram os nomes dos responsáveis e a hora que provavelmente iria acontecer, 2h antes dos portões abrirem. Voltamos pra fila e o caos estava instaurado. – Crys faz alguma coisa? O pessoal está furando fila Crys... você o presidente e tem que resolver. As pessoas não queriam saber de rodízio, de guardar lugar na fila e com uma certa (bem restrita razão). Como vou saber se “Maria” dormiu aqui na fila se eu nem estava aqui pra ver? Outro fato foi todos que tinham a camisa do Fã Clube passar na frente dos outros. Outro reboliço foi um casal cara de pau ter furado a fila e resolveram dormir e fingir que ninguém estava reclamando com eles e a famosa frase da garota revoltada por ver o Fã Clube lucrando: “isso tudo é culpa da cocotinha desse Fã Clube”. Sinceramente? Eu estava muuuito feliz por todos EvRecos estarem alí depois de quase 5 anos lutando/sonhando para que o Ev tocasse na nossa cidade e é um comentários “injusto” e super “egoísta”, mas merecíamos (não todos rsrs) ficar onde estávamos na fila.


Quando o sol foi embora o pessoal ficou bronzeado (risos). Eu, Anninha e Regina fizemos outra investida para obter mais informações do M&G e ficamos aguardando do lado de dentro até chegar os responsáveis pelo Meet & Great, mas nossa atenção virou para Myla que estava sendo carregada nos braços de Gustavo (se não estou enganado) devido a uma queda de pressão. Fiquei tão nervoso vendo Camila deitada no meu colo puxando o ar com força. Na minha tentativa de acama-la falei bem baixinho: fica boa logo pra conhecer Amy... Vamos tentar participar do Meet. Na medida que Myla ficava “melhor”, chegou uma mulher de olhos puxados pedindo que liberassem a área, ela estava com uma lista e disse que só participaria quem estivesse nela e logo iria chamar (curta e grossa =P). Para a nossa surpresa a cantora Marina Elali e conhecidos dela já estavam dentro aguardando os outros serem chamados. Opa! Teve marmelada (risos). Teve até um cara que pagou para ir no lugar do outro amigo que não chegava, mas quando chegou teve que sair (deu pena) e não teve conversa. Conhecimento é tudo, né?! E quem disse que existia fila? Desorganizou tudo, quem estava atrás . Eu, Gina e Anninha tivemos que afastar os ferros no início da fila para poder entrar. Quando ouvimos a produção da banda passar o som todos gritaram e começaram a cantar. E quando descobrimos que o ingresso mais lindo da tour do Brasil seria engolido pela máquina? Tome fotos (kkkkk), autografei a bandeira de PE, distribuímos os balões, pulseiras de neon, os lanças pétalas, estrelas, rosas, confetes (as surpresas para o show).




Portões abertos, acho que fui o sétimo ou oitavo a passar e sai correndo ou melhor voando já sabendo o caminho e onde seria o melhor local. Ao meu lado esquerdo estavam Ionaly, Jéssica, Débora, Emerson e já no meu lado direito estavam Felipe, Guilherme, Isabelle. Aguardamos mais 1h30 pelo show do “The Used”. Já sabia cantar algumas músicas devido aos shows de Rio e Sampa. Momento hilário foi quando Isabele jogou sua pulseira de neon pro vocalista que insistiu colocar no braço (rsrsrsrs) e depois os confetes. Tanta intimidade resultou Bert jogando a água que “bebia” na cara de Isa (eca) e que caiu dentro da boca dela (infinitas crises de riso). Depois do show do The Used esperamos uns 50 minutos até que a música parou e apagaram as luzes... Setembro de 2003 ouço trecho de duas incríveis musicas (BMTL e MI) no filme “Demolidor”. Nem imaginava que eram da mesma banda, nem imaginava que semanas depois assistiria ao clipe de BMTL e lembraria do filme, nem imaginava que em breve compraria o CD e pôsteres, nem imaginava que seria tão fã e ficaria “alucinado” por ver o Ev tocando na TV ao vivo no RiR Lisboa em 2004, nem imaginaria que um dos meus melhores momentos seria assistindo ao DVD ABH com Raissa e Isabelle, nem imaginaria que seria presidente do melhor FC, nem imaginaria que em 2009 viajaria pra Sampa para ver ao show do Ev e conheceria a banda, nem imaginaria participar do RiR em 2011, M&G com Ev e assistir ao show e nem imaginaria viajar novamente pro Rio, Sampa e Fortaleza, mas EU SEMPRE IMAGINEI DESDE QUE VI O CLIPE GOING UNDER PASSAR NA MTV QUE AQUELA BRANQUELA UM DIA ESTARIA AQUI NO RECIFE FAZENDO O SHOW E ESSE DIA FINALMENTE CHEGOU. Começou o show com aquelas batidas eletrônicas e depois da bateria e Amy cantando “Do what you what you want...”. Uma explosão de gritos, confetes, todos cantando mais alto do que a própria Amy, ela chegou a comentar (risos). Estava tão emocionado que a vontade que eu tinha era de chorar em todas as músicas (kkkkkk) e só não digo que estava sonhando, porque estava quente demais, usando minha força para não ir de encontro a grade e nem deixar que as pessoas me levassem, sem falar do cotovelo de Felipe nas minhas costelas e os pisões que ele dava em mim. O momento mais especial de todos os shows do Evans que fui aconteceu durante a música “The Change” quando Amy estava cantando a segunda estrofe “Never meant to lie...”. Lee se ajoelhou bem na minha frente - ... But I’m not the girl you think you know... - sorrio e piscou PRA MIM - ... The more that I am with You... - ainda olhando, olhou pro fundão, pra mim novamente - The more that I am all alone - se levantou e eu chorei (kkkkkkk).














Meus lançadores de estrelas foram tomados pelo segurança, ele alegou que eu poderia machucar a cantora. Na metade do show muitos já estavam passando mal por causa do aperto, calor, muita emoção e Felipe me pedia para chamar os bombeiros todo instante, porque não aguentava mais. Porém, quando eles chegavam Lipe falava que estava tudo bem (não queria perder o show, né?!). E faltando poucas músicas para acabar :( Ionaly joga a bandeira de PE com os autógrafos e Amy pega no chão e agita enquanto canta *-* todos piram quando tocam BMTL e MI, as primeiras músicas que ouvi do Evanescence. No final do show Terry e Troy entregam na minha mão as suas palhetas *-* de longe o MELHOR SHOW DA MINHA VIDA ♥ que chegue logo o próximo Evanescence Live in Recife II ♥








  [CONTINUA]

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

EvRec TOUR 2012 - RECIFE #Parte 4/6

Do Hotel Transamérica fomos (Eu e Gina) dormir na casa de Anninha, mas antes ficamos conversando até tarde e bebendo de tudo mais um pouco (risos), vinho do porto, cerveja importada, espumante... Subimos na casinha de madeira dos sobrinhos de Anna (kkkk) e imaginamos se acontecesse algo grave como iríamos sair dali... Correndo? Fomos espiar quem estava gritando na rua (kkkk) e no quarto joguei um urso enorme em cima de Gina - me tira daqui... ajuda. Contudo, o ápice foi ouvir Regina cantando “Bring Me To Life” e “My Heart Is Broken” com soluço, ouça AQUI. Rimos muuuuito! Agora chega de brincadeiras que o dia será longo. Acordamos um pouco tarde e fomos logo tomando banho e café. Anninha cuidou de fazer a maquiagem de Gina já pensando na entrevista da Globo (risos). Já no Transamérica alguns amigos já estavam lá aguardando o pessoal da banda aparecer. Ficamos ali conversando, chupando picolé, olhando pro hotel até ver Amy na varanda dando tchau e todos pirando na dúvida: É ela? Não é? É ela! Alguns minutos depois Beth enrolada numa canga indo a praia passa por nós e fala - Hi, Guys?! – e todos responderam num coro e num suspiro bem romântico – Hiiiiii! *_* Rimos muito dessa cena depois.


Já estava perto do meio dia quando avisamos a todos na net o local da entrevista com a Globo e ficou claro que seria no mesmo lugar onde a banda estava mesmo sem “citar”.


Nesse tempinho Raul ainda tenta ser o penetra e “invade” o hotel para tentar ver alguém do Ev e ele avista o Terry sentado e nada de Amy. Levei um susto quando falam - Tim tá descendo, ele tá vindo... Calma gente! Fiquem quietos! (risos). Ele passou por Regina e as meninas até que Ionaly pede para tirar uma foto e os EvFãs vão pra cima. Fotos e mais fotos até deixar o adorável Tim continuar a sua caminhada a praia tranquilo. 





Aos poucos foi chegando mais EvFãs até a produção da Rede Globo chegar. Eles entrevistaram: Phelipe que falou da aparição da Amy na janela, Regina que contou quem viu/falou, Noélia narrou a sua viagem até Recife (Afinal, qual paradeiro dela? Tadinha) e Eu estava falando sobre “as músicas da banda” quando o Tim retorna da praia e faço – espera aí, depois eu continuo e sim, este é um integrante da banda, Tim, baixista. A repórter não era boa no inglês e Anninha foi a tradutora. Como de costume paguei um micão quando eu perguntei ao Tim se eles tocariam outra música nova além da dissapear? Mas eu falei algo como “zapier” ou coisa parecida e Tim arregalou os olhos – Aaaahhhh? Kkkkkkkkk!!! Mais fotos e Anninha foi pro carro da globo traduzir tudo que Tim falou na entrevista. 







Ficamos até tarde esperando Amy, Terry, Troy e Will descerem. Para um carro e uma garota coloca a cabeça pra fora gritando – ELA ESTÁ LÁ... DO OUTRO LADO, AMY LEE, EU ACABEI DE VER, ELA ESTÁ SAINDO POR TRÁS, ESTA LÁ. E foi embora. Olhamos um para o outro sem acreditar até que Eu, Gina, Anninha e Felipe com a ajuda de uma fã que estava no condomínio que fica ao lado do hotel e dava acesso a rua de trás. Saímos correndo no condomínio e quando chegamos do outro lado, nada de Amy Lee. Perguntamos a uma senhora que estava varrendo na frente de sua casa e a mesma confirmou ter visto uma mulher branca, cabelos grandes e pretos, vestido azul e preto, ou seja, confirmou. Todo esse tempo Amy estava saindo por trás do hotel e todos lá na frente esperando (outra trolada, hoje consigo rir só em lembrar, mas no dia fiquei muito arretado). Já eram mais de 18h, super cansado, um dia antes do grande show, ainda iria na casa de Gina para ela pegar as coisas dela e ir lá pra casa. Precisávamos descansar, pois iriamos acordar muito cedo para chegar no Chevrolet Hall, às 5h. Mais tarde daquele mesmo dia ficamos sabendo que Amy mandou autógrafos por um funcionário do hotel e uma mensagem para todos irem pra casa descansar pro show de amanhã.

[CONTINUA]